Paredão do BBB, ou Como Tornar-se um Herói DJ da Noite para o Dia

15 de janeiro de 2013 • Por Anna Ingrid, em Humor
BBB 13

Começou de novo o BBB, e como estava faltando chato no mundo, a Globo resolveu entrar na onda da sustentabilidade e reciclar os antigos participantes.

E já podemos nos preparar para três meses de gente guerreira, verdadeira, sincera e uhulll (uhulll nova Iguaçu, porque um dos participantes reciclados é a Fani).

BBB 13
Imagem do épico BBB ao Vivo

É também a época em que o Brasil se divide em dois. Todos engajados pela causa BBB. Metade ama, metade diz que quem vê é retardado.

Como o Brasil é a terra onde o “viva e deixe viver” não acontece, a gente precisa lidar com a moçada que gosta do programa e com a que odeia e não se conforma que alguém goste e que a Globo lave os cérebros do país como se o grande problema do mesmo fosse o Big Brother.

Também temos que aturar o público que leva o programa a sério e cria torcidas e blogs com posts inflados de ódio, como se quem estivesse participando estivesse lá para salvar o mundo, combater a fome, acabar com a miséria e ensinar a todos os brasileiros a diferença entre “mas” e “mais”.

Hoje, como toda terça feira, temos um paredão, o primeiro da temporada, e o negócio lá ficou tão movimentado com os BBBs reciclados que os novatos precisaram dizer antes a que vieram.

Temos de um lado a promessa de uma samambaia e uma cosplay live action de uma personagem da novela das sete das Empreguetes, que já chegou tocando o terror com muito grito, dedo em riste, frases de efeito e confusão.

Aparentemente, a moça desce o morro com uma lata na cabeça, samba e a lata não cai. E a gente adora a página dela no Facebook, só de frase de efeito com filtro do Instagram.

A gente não sabe quem vai ganhar, mas sabe que os participantes vão fingir sentir falta da família…

…e chorar quando virem a mãe e a prima vadia que pegou todos os namorados da participante…

…todos os amigos falsos que ela odeia, todo mundo usando camiseta com a foto da amada pessoa guerreira virtuosa que tá lá confinada em busca da fama e fortuna.

E de uma carreira de DJ (porque tem que fazer parte do prêmio, todos os ex-BBBs viram DJs).

Também podemos contar com os discursos do Bial. Nunca fazem sentido, nunca dizem nada e parecem feitos de palavras aleatórias que ele pegou para mostrar o quanto é articulado diante dos “heróis”.

Ele, o apresentador remanescente do tempo em que precisava de diploma para ser jornalista, sendo que, quando precisava, ele cobria a queda do muro de Berlim. Agora que não precisa, ele chama Kléber Bambam de herói.

Os heróis do Bial são os jogadores cujos maiores feitos envolvem a leitura da bula da bomba que vão tomar na academia e mulheres que nasceram com uma bunda bonita.

A gente sabe o quão difícil é manter uma bunda bonita e ninguém tá tentando tirar o mérito delas, não é isso.

É que a gente só tá aqui pelo lulz.

Compartilhe

Comentários fechados.