Para os momentos de dúvida: detector de mentiras


Fazendo um retrospecto em busca do que me dava prazer há, digamos, 15 ou 20 anos, lembrei do quanto eu gostava de Eletrônica. Eu era capaz de varar noites inteiras estudando, desmontando aparelhos velhos, soldando componentes e experimentando aparelhos. E o que encontrei hoje na rede tem um gostinho delicioso de anos 80: um detector de mentiras.

Antes de mais prosseguir devo dizer que a matéria original está aqui: Lie Detector.

O diagrama do Detector de Mentiras é mostrado acima. Ele consiste de três transistores (TR1 a TR3), um capacitor (C1), dois LEDs (L1 & L2), cinco resistores (R1 a R5), e um resistor variável (VR1) – trim-pot ou potenciômetro.

Este circuito se baseia no fato de que a resistência da pele de uma pessoa muda quando ela sua (sor ocasionado pela mentira). A pele seca tem uma resistência de cerca de um mega ohms, enquanto a resistência da pele úmida se reduz por um fator de dez ou mais.

Os resistores R1 e R2 formam um divisor de tensão. Suas resistências são de 1.000.000 ohms (1 mega ohms) e, por serem seus valores iguais, a tensão no sensor superior é de metade da tensão da bateria, ou seja, cerca de 4,5 volts. (Os sensores são identificados pelos fios “probes” no diagrama.)

Uma pessoa segurando os sensores, ou fios de prova, vai alterar a tensão no fio superior, dependendo da resistência de sua pele. A resistência da pele está em paralelo com R2 e, porque ela é similar ou menor do que R2, a tensão no fio de prova vai cair, à medida que a resistência diminui.

O capacitor C1 funciona como um capacitor regulador, e remove o zumbido de 50Hz encontrado no corpo humano.

TR1 e R3 formam um circuito de buffer (chamado de emissor-seguidor). A voltagem no emissor de TR1 segue a voltagem no fio de prova e agora pode ativar o transistor TR2.

Os transistores TR1 e TR2 agem como um comparador de voltagem. Se a voltagem na base de TR2 for mais alta que a da base de TR3 então o LED verde (L1) acenderá. Se o inverso for verdade, então o LED vermelho (L2) acenderá.

Para testar o Detector de Mentiras segure os fios de prova. Ajuste VR1 até que o LED verde recém acenda e o vermelho recém apague. Este é o ponto em que a tensão na base de TR2 é ligeiramente maior que a da base de TR3. Agora umedeça os dedos para segurar os sensores. Isto baixa a resistência da pele e causa a diminuição da tensão na base de TR2. A tensão na base de TR3 agora é maior e o LED vermelho acende.

Antes que perguntem: no artigo original também não constava a especificação dos transistores, mas creio que sejam os mais do que comuns BC548.

Bom proveito!

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.91
Total de Votos: 11
Para os momentos de dúvida: detector de mentiras

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.