O veneno nos comentários da Internet


Se você tiver sete minutos de sua vida para assistir a um vídeo, assista este aqui, logo abaixo. É em Inglês, legendado em Português.

Independente de ele ter saído de uma página de teorias da conspiração, podemos conferir várias verdades nele:

  • A maioria da sociedade não tem mais bom senso, empatia ou boa vontade.
  • A promoção da gentileza e da compaixão está restrita a círculos muito restritos.
  • As pessoas agridem por agredir, maltratam por maltratar, e seu principal objetivo parece ser provar que o outro está errado (e, por isso, não deveria nem existir).
  • A agressão é contagiosa, e mesmo que você não agrida de volta, ou que a agressão não seja diretamente contra você, o fato de presenciá-la é suficiente para você ser contaminado.
  • A única maneira de a sociedade livrar-se dessa doença coletiva é cada um, individualmente, enfrentar e conhecer o lado sombrio da própria alma; só que a maioria não quer fazer isso, preferindo gastar seu tempo com coisas inúteis ou fazendo selfies com cara de pato.
  • Na maior parte das vezes, permitir comentários na Internet é desrespeitar um trabalho feito com dedicação e esforço, porque é certo que odiadores de carteirinha vão depositar seus dejetos lá.
  • Mesmo sendo contra um sistema opressor, podemos estar reforçando-o quando utilizamos os seus mesmos “argumentos” ou métodos contra aqueles que “combatemos.”

Desde há muito que sou um defensor do fim dos comentários na Internet, pelos motivos descritos acima e porque, pelo menos no Brasil, se um comentarista fizer merda quem é responsabilizado é o dono da página, a despeito de haver ou não avisos inócuos de “os comentários não representam a opinião deste veículo.”

Antes que algum engraçadinho metido a smartass venha relinchar que apesar dessa opinião eu mantenho comentários abertos aqui neste blog já vou dizendo: os comentários aqui são abertos, 100% moderados, e exclusivamente porque de vez em quando algumas pessoas amigas deixam comentários aqui; é para elas que a área de comentários está aberta, e não para babacas vindos sei lá de onde (com esses eu lido nos bastidores mesmo).

Comentários Internet afora

Controlar os comentários do conteúdo que a gente mesmo produz é fácil. Como o cara do vídeo diz, é questão de desmarcar o “permitir comentários.” Mas e os comentários dos portais e sites de notícias?

A recomendação geral, claro, é a de não ler este tipo de coisa. Mas não raro nosso olhar é “atraído” para este lixo de maneira irresistível, e acabamos sucumbindo ao masoquismo irracional que habita nosso ser (uma porção demoníaca da alma que se identifica com a maldade e a bruxaria dos comentários de ódio travestidos de “liberdade de expressão”).

Para quem navega no celular ou no tablet não tenho uma sugestão a dar para lidar com o problema. Mas para quem usa o Chrome ou o Firefox para navegar no computador existe esperança: um userscript chamado Removedor de Comentários, que faz o que o nome sugere: remove das páginas dos sites e portais as áreas de comentários, para que você não fique mais exposto à tentação demoníaca de “dar só uma olhadinha.”

Como instalar o userscript removedor de comentários

Userscripts são pequenos programas que modificam de alguma maneira a funcionalidade de uma página, ao gosto do usuário e à revelia do dono do site.

Para instalar um userscript você deverá ter uma extensão de gerenciamento deste tipo de recurso.

Depois de instalar o gerenciador adequado para o seu navegador você só tem que visitar a página do userscript Removedor de Comentários e clicar no botão de “instalar.”

Pronto, pode voltar a navegar pelos sites de notícias e portais em geral, sem precisar passar pelo mar de ódio que os comentários em geral implicam.


Leia tudo que já publiquei sobre userscripts.

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.85
Total de Votos: 13
O veneno nos comentários da Internet

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.