O Blog como Ferramenta de Estudos Sociais


Não estou falando de “Estudos Sociais” aquela matéria que os trintões e quarentões tinham no primário, que englobava Geografia, História, EMC (Educação Moral e Cívica) — que depois virava OSPB (Organização Social e Política do Brasil). Estou falando é da possibilidade que temos de descobrir coisas sobre as pessoas, sobre a sociedade, apenas observando o comportamento de quem escreve nos blogs, seja como autor, seja como “comentador” (ou comentarista).

A inspiração para escrever este singelo artigo surgiu de um comentário que recebi no artigo Tem site bloqueando o Firefox. Um leitor do tipo paraquedista, identificado apenas como “Anderson”, deixou o seguinte comentário por lá (claro que não publiquei, ou não teria pauta para agora):

Autor : Anderson (IP: 201.82.9.148 , c952994.cps.virtua.com.br)
Email : [email protected]
URL :
Whois : http://ws.arin.net/cgi-bin/whois.pl?queryinput=201.82.9.148
Comentário:
Dor de cotovelo tem o cara que escreveu esse artigo…
meu o site é do cara, se ele quise bloquea para firefox ele assim o faz.
Assim como o seu anus é seu e vc da para quem vc quise certo?
deixa o pessoal em paz, saiba aceitar a opniao dos outros assim como vc gostaria que aceitacem a sua correto?
fica escrevento textinho para fala mau do pessoal, se tem tempo livre assim?
depois ainda o pessoal reclama que nao tem emprego no brasil, tem e gente com tempo para fica escrevendo bobagem na net…

Em primeiro lugar, vemos como algumas pessoas são, infelizmente, confusas a ponto de no tempo de digitar uma “@” no teclado perder o rumo das idéias. Ao ser perguntado sobre o seu e-mail, primeiro ele balbuciou algo que lembra um “não sei”, mas logo após a arroba ele já mudou de idéia, e virou algo que deveria ser “não quero passa”. Eu também não gosto muito de uva passa, principalmente quando estou ao computador.

Depois, nota-se como algumas pessoa têm dificuldade com o infinitivo dos verbos. Também, por que raios a Língua Portuguesa tem que ter os verbos terminados em “ar”, “er” e “ir”, também chamados de primeira, segunda e terceira conjugações? Será que o governo (a culpa é sempre dele) não vê que dá muito trabalho ter de inserir uma letra a mais depois de cada verbo no invinitivo? A Língua Inglesa, por acaso, tem essa frescura de sufixos indicando verbos no infinitivo? Claro que não, e ainda assim é a língua mais falada no mundo (depois do Chinês, até onde eu sei, que segundo me consta também não tem essa besteira de ar, er, ir).

Faz-se mister notar também o quanto os hábitos das pessoas transparecem até mesmo entre os mais cultos. Explico: o cara é culto porque falou “anus” (acentos miseráveis, reforma ortográfica já, dane-se quem não souber a diferença entre um cu e dois ou mais pássaros pretos), e falou dos seus próprios hábitos ao dizer (vou traduzir): “assim como o ânus é seu e você dá para quem quiser, certo?”. E não, leitores preconceituosos que projetam sua maldade como se fosse minha, o fato de o rapaz liberar o brioco dele para quem ele quiser, e achar que todo mundo tem que fazer isso, não tem nada a ver com o fato de ele ser campineiro! Ele poderia ser pelotense, e eu pensaria a mesma coisa dele!

Além do mais, essa inteligência e essa cultura todas — em caso de dúvida, caro leitor, releia o comentário — também demonstram engajamento sócio-político! A solução para o desemprego está ali, para quem souber ler! É só as pessoas pararem de escrever bobagem na Net! Bom, fiquei em dúvida sobre o que as pessoas escrevem na Net, que é o provedor de Internet do gênio acima citado. Mas, claro, eu que sou muito burro mesmo para entender.

Que sirva de exemplo, caros leitores, que por mais que uma pessoa pareça analfabeta (ao escrever “opnião”, “aceitacem”, “escrevento”), pode ser apenas o teclado dela que não “bate” o R dos verbos no infinitivo, pode ser apenas que ela tenha esquecido de tomar o gardenal e o comentário tenha sido produzido por movimentos espasmódicos e não seja nada daquilo que a pessoa — espero que seja uma pessoa e não uma salsinha — pensou em escrever. E que não é pelo fato de ele ser um covarde que se esconde por detrás do anonimato da Internet para fazer críticas que ele não tenha opinião formada, inclusive a solução para os problemas sociais do País! Vai ser para sempre um perdedor, porque precisa ficar se escondendo para admitir que dá o rabo e para externar os seus problemas psicológicos, mas um perdedor cheio de “opnião”!

Technorati : imbecis, mulas, salsinhas

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.5
Total de Votos: 10
O Blog como Ferramenta de Estudos Sociais

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.