Eu agora sou vegetariano


Sushi

Virei vegetariano.

Não como mais nada de carne. Nem vermelha, nem branca, nem crua, nem assada, nada. Ainda não consegui me livrar dos laticínios e dos ovos (não os meus, os da alimentação), mas serão o próximo passo. Afinal, cadáveres de fetos de galinha também são cadáveres!

Quem me lê deve pensar que resolvi trocar radicalmente a dieta por causa do meu excesso de peso. Crasso engano pensar assim. Até porque eu já comprovei que comer só carne emagrece.

Acontece que os alimentos que se dão para o gado poderiam ser direcionados para alimentar as crianças famintas da África. Imagine quantas refeições por dia uma família média da Etiópia conseguiria fazer com um fardo de alfafa!

Além disso, os animaizinhos sofrem muito quando vão ser abatidos, embora não tenham consciência e sua missão na Terra seja cumprir seu papel na cadeia alimentar. Os pobres boizinhos são castrados antes mesmo que possam ter tido uma relação sexual enquanto ainda touros, morrem sem saber o que é orgasmo!

Sem contar que é nojento comer cadáver de bicho, né!

SushiPor exemplo, até ontem eu comia carne crua! De salmão, para ser mais exato (às vezes de outros bichos). Imagine que mesmo morto o pobre salmãozinho deve sofrer horrores quando o sushiman passa aquela faca afiadíssima, tirando os filetes de salmão na espessura exata, com o tamanho exato para cobrir aquela bolinha de arroz e fazer um delicioso, digo, nojento niguiri.

E às vezes eu até comia o salmão cru sem nem ter um arrozinho para disfarçar! Que delícia, digo, que nojo comer salmão cru embebido em molho de soja! Aquela textura, aquele sabor na boca, sacrilégio!

Mas pior mesmo são as horrorosas carnes vermelhas.

Sabe aquela gordurinha cancerígena que tem no cadáver de picanha? Digo, no cadáver de boi que quando touro era virgem, no corte chamado picanha? Pois é. Aquilo ali é o próprio DEABO que vem fazer sexo com o aparelho digestório da pessoa, que no dia seguinte dá à luz um alien.

Tem também um outro aspecto, que é a falta de respeito com a identidade de gênero dos bichinhos, que deveriam morrer de fome para sustentar com alfafa as famílias pobres, e não abatidos por frigoríficos maléficos que só visam o sofrimento dos bichos: todo mundo come carne de vaca (todo mundo, melhor dizendo, do grupo dos pecadores ímpios comedores de carne), raramente você vê alguém que diga comer carne de boi.

E como se não bastasse esse desrespeito com os bichinhos, ainda há quem coma filé praticamente cru! Alegam que é a carne mais macia do pobre boizinho que morreu virgem sem ter tido orgasmos, e cuja alimentação resolveria o problema da fome no mundo! Coisa mais horrível, filé mignon!

Enfim, como falei no início do texto, agora sou vegetariano, ou quase: ainda falta me livrar do leite, que por mania de fazer estoque, tem de monte aqui.

Quem quiser vir aqui em casa para levar todo o meu leite, fique à vontade. Mas tem que prometer que é para beber, porque deitar leite fora também é pecado!

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.8
Total de Votos: 9
Eu agora sou vegetariano

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.