“Este programa executou uma operação ilegal”


Numa de minhas vidas passadas, acho que há uns 15 anos, trabalhei em uma empresa que desenvolvia sistemas para automação comercial. Se hoje em dia as pessoas não usam mais programas piratas, e fazem questão de pagar pela licença de tudo que usam, se não houver alternativa gratuita legítima — OK, eu faço isso, e talvez seja tarefa de gincana — no início dos Anos 90 as coisas eram bem piores.

Com o fito de defender-se da pirataria a empresa usava um artifício muito simples: os programas só funcionavam se tivessem um arquivo de personalização, que continha criptografados os dados do cliente (como razão social, endereço, telefone) bem como informações sobre a licença negociada. Normalmente isso era suficiente, porque não tinha cabimento para uma empresa — por exemplo — emitir notas fiscais com os dados de outra.

Eu era gerente do Suporte Técnico da empresa, e ao mesmo tempo que o nível de estresse era altíssimo, a gente se divertia muito, até porque minha equipe era sensacional.

Uma tarde, um cliente ligou muito preocupado; pelo jeito que falava parecia que todo o sangue de seu corpo tinha sido substituído por culpa, e que o oxigênio de seus pulmões tinha virado constrangimento puro.

À guisa de contextualização, cabe salientar que os sistemas eram escritos em Clipper, rodavam no Windows 98, e por esta razão davam bastante problemas que levavam ao encerramento errático dos programas, com mensagens que muitas vezes eram ininteligíveis até para os próprios programadores.

Mas voltando àquela tarde: o homem estava muito constrangido, e a moça que o atendia, competente como só ela, tratou de acalmá-lo para poder averiguar o que o levava, realmente, a pedir suporte técnico — algo impensável em uma cultura de call centers terceirizados em que a métrica de produtividade é a quantidade de ligações atendidas, e não de problemas resolvidos.

— Sabe o que é, moça, é que eu preciso regularizar a minha versão pirata do programa. Eu venho usando há meses a versão pirata porque estava sem dinheiro, mas agora eu preciso regularizar.

— Claro, Seu Fulano, eu ajudo o senhor nisso, mas por que o senhor está tão preocupado? O senhor perdeu informações, aconteceu algo com as cópias de segurança?

— Não, é que apareceu uma mensagem de “este programa executou uma operação ilegal”. É porque vocês descobriram que é pirata, e agora eu vou ser preso, né?

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.1
Total de Votos: 8
“Este programa executou uma operação ilegal”

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.