Efeito do calor no humor das pessoas


Oportunidade de compra: Sempre que vir o ícone  em algum lugar da página, você pode clicar nele para visitar diretamente a página da Amazon onde será possível comprá-lo!

Tenho uma amiga que diz que é incrível como acontecem coisas num trajeto tão curto como o compreendido entre minha casa e meu trabalho. Ela se admira da quantidade de assunto que essas poucas quadras rendem aqui no blog.

Ontem aconteceu mais uma série de fatos, que merecem ser listados.

Aos primeiros passos na Borges, saindo de casa, pela manhã, avistei o que parecia ser um casal, andando na companhia de uma criança. De repente a mulher começou a espancar o moleque, e o cara que estava com eles simplesmente meteu a mão no ouvido da mulher. Pelo menos ela parou de surrar o guri.

Bem naquele lugar em que eu próprio também tive um estresse presenciei dois vendedores ambulantes de bebida discutindo. “Eu te furo o bucho, eu te passo a faca, seu ‘fiadaputa’!”, gritava um. E o outro não esperou pela facada, meteu um soco na fuça do “assassino”, e comeu ele no chute fazendo observações sobre sua mãezinha.

Um pouquinho antes do Tudo Fácil, um senhor chorando no meio da rua, e uma piazada correndo. Tinham levado a bolsa  dele.

Na esquina da Borges com a Andrade Neves dois camelôs discutiam por ponto. O argumento da guria foi abotoar a mesa na cabeça do concorrente.

Ali pela frente da Panvel da Andradas, vinha vindo uma mulher andando em rota de colisão com uma senhora que caminhava para a frente olhando para o lado (malditas vitrines). A primeira deu um peitaço nesta que a jogou sentada, e ficou xingando no meio da rua: “é por causa de umas malas como tu que a mulher é tão desrespeitada, sua vaca, levanta daí, bota uma atitude neste corpo!”

Eu me sentia no meio de um conto do Stephen King  , só faltava aparecer um carro antigo sem motorista tocando música romântica e piscando os faróis para mim.

Ao atravessar a Paraça da Alfândega, vi também um casal que discutia num volume bem alto, e o cara dizia: “eu acho que tu tem mais é que ficar indignada se eu maltratar a tua filha; porque quando tu maltrata a minha, e tu faz isso o tempo todo, eu tenho vontade de te matar!”

Será que é o calor que deixa as pessoas impacientes? Alguma reação química no cérebro? Maldito efeito estufa!

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.6
Total de Votos: 10
Efeito do calor no humor das pessoas

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.