A Origem do Papai Noel


Para que ninguém me acuse de estar me aproveitando de temas sazonais para ganhar mais visitas, resolvi divulgar dois vídeos que contam a verdadeira origem do Papai Noel (ou Pai Natal em outros países lusófonos) agora, no início de junho, com mais de meio ano de antecedência.

Diferente do que muita gente pensa, os papai-noéis são criaturas selvagens, que levam aproximadamente 300 anos para atingirem o peso e a envergadura adequados para estarem sentados em cadeiras vistosas de shopping centers. São muito ferozes e fortes, demandando altas doses de tranqüilizantes para serem caçados, e o treinamento demora meses.

Uma imagem vale mais do que mil palavras, logo vou colocar o vídeo aqui de uma vez.

Bem, considerando que os papa-noéis fazem parte da realidade da infância de pelo menos uns 90% das crianças do planeta (não esqueça que os resultados de 78% das pesquisas divulgadas na Internet são inventados), creio que seja conveniente também divulgar outro vídeo dos mesmos produtores, ensinando a sobreviver caso encontre um papai-noel em seu estado selvagem, apontando os erros a não serem cometidos na presença de um, e principalmente um forte rito de passagem, lá pelas bandas da Finlândia (de onde vêm os papai-noéis), quando um garotinho descobre que estes seres selvagens podem ser antropófagos cruéis, e então torna-se um homem, um caçador de papai-noéis, exatamente como seu pai.

Enfim, quem me conhece sabe que sou um empreendedor. Vou escrever para essa empresa, e ver se consigo importar um ou dois desses espécimes, para experimentar o mercado; eu sempre quis trabalhar com comércio exterior, e talvez seja essa a oportunidade perfeita para me tornar um representante deles aqui em Terra de Vera Cruz. Nesse caso, só espero que o Ibama não complique a minha vida.

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.45
Total de Votos: 11
A Origem do Papai Noel

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.