A dieta cetônica


Ontem à noite brinquei no Twitter, enviando uma foto de uma costela gorda que eu estava comendo, acompanhada dos dizeres “viva a dieta cetônica”. Algumas pessoas — entre elas a Lil — me alertaram abertamente sobre os riscos de tal dieta (também conhecida por “Dieta de Atkins”), e mais umas outras o fizeram por meio de mensagem direta e privativa (DM).

A costela estava ótima

Quem me conhece sabe que não sou dado a dietas da moda, ou a tomar medicamentos para emagrecer (nem para coisa nenhuma). Minha única experiência parecida foi com a famigerada sibutramina, que em quinze dias de uso me fez perder duas semanas de bom humor.

A dieta cetônica, para quem não sabe, consiste em alimentar-se exclusivamente de proteínas, abolindo da alimentação carboidratos e fibras. Até concordo que alguém possa adotar uma alimentação assim durante um período curto, para “dar uma secada”, mas a prática continuada de alimentação rica em proteínas e pobre em fibras e carboidratos vai, isso sim, causar problemas de saúde.

Apesar de não ser a dieta cetônica, eu estou, sim, cuidando mais da minha alimentação. Como resultado, em dois meses desengordei mais de 10kg, e diminuí praticamente 20cm de diâmetro abdominal (20cm a menos de pança, para quem não entendeu).

As regras para minha dieta são simples.

Primeiro, cortei totalmente refrigerantes, cerveja (já não bebia mesmo), etc.

Cortei também massas, arroz, feijão, enfim, tudo que tenha farinha ou seja derivado de feculantes.

Cortei o uso do açúcar também.

Além dos cortes (que nem são tão radicais assim) passei a observar umas regrinhas simples de alimentação.

  • Pela manhã eu como frutas. A manhã inteira, se quiser e conseguir. Só paro uma hora antes do almoço (ou um pouco mais, principalmente agora).
  • No almoço como carne e salada. As quantidades não importam, o que importa é que eu não consumo carboidrato na mesma refeição em que tem proteína (exceto, claro, pelo que existe no tomate, por exemplo, que embora tecnicamente seja uma fruta entra na categoria de salada).
  • Após uma refeição com carne, espero três horas, e posso voltar a comer fruta, o quanto eu queira.
  • No jantar cumpro o mesmo ritual do almoço, observando o mesmo intervalo após as frutas, etc.

Acredite, o resultado dessas mudanças simples na maneira de alimentar-me já estão rendendo excelentes frutos, tanto em termos de desengordar (porque emagrecer é ficar magro, e eu estou apenas deixando de ser gordo para ser menos gordo), quanto de saúde e disposição física.

E nem estou fazendo atividade física disciplinada, continuo tão sedentário quanto antes. Mas isso também muda quando a gente percebe os primeiros resultados, e em breve vou mudar essa característica também.

Então, Lil e demais pessoas que demonstraram preocupação: muito, muito obrigado pelo carinho, mas podem ficar sossegadas: eu estou me cuidando direitinho! 🙂

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.67
Total de Votos: 12
A dieta cetônica

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Um comentário

  • Lili:

    Então tá! Já podemos inserir uma atividade física leve junto a esta dieta 🙂 Vamos caminhar na Atlântica…ok? Te aviso quando eu estiver aí… 🙂

    Responder

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.