#365Posts – A verdade sobre piadas com nomes de pobre

Se você é do tipo que faz piada com os "nomes de pobre", leia este post para saber o que eu realmente acho de você.


friend-joke

Seja amigo de pessoas burras, sinta-se gênio o tempo todo.

Existem alguns comportamentos que fazem com que as pessoas pareçam muito inferiores ao que realmente são, ou ao que elas tentam parecer que são. Pregar moral de cuecas é um deles, e é por esta razão que eu demorei tanto a escrever o presente post: eu não me achava no direito de criticar o comportamento asqueroso dos outros quando eu mesmo tenho comportamentos asquerosos.

Entretanto, não denunciar o comportamento asqueroso é uma espécie de pacto com a canalhice: a pessoa (eu, caso alguém não tenha entendido) cala sobre os defeitos alheios para que os outros não tenham o direito de criticar os da própria pessoa.

Mas se tem algo de que eu não preciso, e estou consciente disso, é fazer pactos egoicos com o objetivo de proteger a merda alheia, ou a minha própria. Mesmo que de vez em quando eu esqueça disso e aja feito um completo imbecil em circunstâncias específicas.

Fazer troça do nome alheio é profundo desrespeito

Quando a pessoa (eu, você, qualquer um) faz piada com o nome alheio, ela está, simplesmente, desrespeitando a pessoa em um nível inimaginavelmente profundo. Afinal de contas, as pessoas se identificam com o nome que carregam a vida inteira (gostando ou não). Faça o teste: pergunte a qualquer um “quem é você?”, e a menos que o indivíduo já tenha ensaiado essa resposta vai responder com o seu nome próprio; dá até para sacanear dizendo “perguntei quem é você, não qual o seu nome”.

As pessoas que debocham dos “nomes de pobre” devem se achar a fina flor da sociedade só porque os pais estavam expostos a aspectos culturais diferentes dos que levaram os pais da outra pessoa a batizá-la daquela maneira.

Se esses piadistas imbecis tivessem a hombridade de se colocar no lugar da vítima de seus comentários, duvido que seriam tão profícuos na destilação de suas maldades travestidas de espanto, humor, ou seja lá qual for a mentira que inventem para justificar a canalhice.

Da próxima vez que lhe ocorrer que “um pai e uma mãe devem odiar a criança para botar-lhe um nome desses”, pense que a pessoa não o escolheu, e que não é das coisas mais fáceis enfrentar um processo para troca de nome, atualmente. Em vez de humilhar o outro, tente inteirar-se de como a pessoa prefere ser chamada, e respeite o desejo dela. Tenho certeza de que uma atitude de respeito, pelo menos uma vez na vida, vai tornar a sua vida melhor.

Compartilhe

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.7
Total de Votos: 12
#365Posts – A verdade sobre piadas com nomes de pobre

Janio Sarmento
Administrador de sistemas, humanista, progressista, apreciador de computadores e bugigangas eletrônicas, acredita que os blogs nunca morrerão, por mais que as redes sociais pareçam cada vez mais sedutoras para as grandes massas.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.