Programa de Afiliados 2 – A Missão


Pois pra quem está curioso sobre o desempenho dos anúncios do Buscapé no Blogue, devo dizer que estes dois primeiros dias foram uma agradável surpresa. Nenhuma fortuna, mas enquanto os três cliques que o Adsense obteve não renderam um mísero centavo, o Buscapé me permitiu acumular R$ 1,30.

É muito cedo para avaliar, mas parece-me ser muito interessante esse programa de afiliados. Primeiro porque a remuneração por clique é relativamente boa (R$ 0,10 depois que o usuário navegar pelo site do Buscapé, o tal do clique premium). Outra vantagem é que como aparecem de vez em quando anúncios diretos para as lojas, esses banners ao serem clicados já são premium por natureza, ou seja, como vão direto para a loja anunciante, e o Buscapé não tem ingerência nenhuma sobre o que acontece lá, o clique é imediatamente contabilizado como premium para o site que veiculou o anúncio. Gosto também dos links individuais, que dão um pouco de trabalho para codificar, e não têm a inteligência do Google por trás, mas permitem criar uns efeitos bem interessantes.

Por exemplo, eu poderia estar falando sobre um assunto que atrai todo mundo: sexo. Aí eu poderia parafrasear Renato Russo no Acústico MTV, e fazer do comentário um link para a página do Buscapé relevante para o contexto: safe sex or no sex at all. Bacana, não? Ainda precisarei contar com a boa vontade do cara que clicou no link em navegar por pelo menos mais uma página do Buscapé, mas de fato esses links geram cliques, e até melhor do que os banners.

Outro motivo pelo qual os links personalizados são bacanas é pelo fato de a maioria das pessoas sensatas (ou a totalidade das pessoas sensatas com conhecimentos mínimos de informática) estarem usando o Firefox como navegador padrão. E estes contam com a poderosa Adblock, que corretamente configurada bloqueia todos os anúncios publicitários de uma página. Eu uso a Adblock, e se um anúncio me parece instrusivo (espero que os meus não pareçam) crio uma regra para bloqueá-lo sem dó.

Considero um anúncio intrusivo aqueles que são maiores e mais chamativos que o conteúdo da página. Odeio aqueles anúncios que levam para um site que vende (ou sei lá) emoticons e smileys. Além de gigantescos e dispersivos aqueles anúncios tentam decidir por mim o que eu vou ou não fazer. Os do Buscapé são sensatos, ficam ali no lugar deles, só esperando que um interessado clique neles.

Voltando ao foco, manterei os anúncios do Buscapé, pelo menos enquanto eles estiverem rendendo cliques (o Adsense também teve um desempenho espetacular nos primeiros dias, tendo uma taxa de cliques de quase 25%, e depois parou). Qualquer dinheirinho que entrar já é lucro. Como diz meu amigo Leo, um homem tem de sustentar suas mulheres e beber seu uísque.